sexta-feira, 24 de março de 2017

Prenda

Há pessoas que me dizem gostar muito de mim e nem me ligam para falar comigo, outras deixaram de gostar e nem no facebook me perguntam se estou bem, depois há as outras que nem me conhecem pessoalmente, só pelo blog e me mandam prendinhas com mensagens carinhosas!!!


Adorei, só temos um pequeno problema já li adorei e já tenho...senão o leste e não o tens vou-te devolver para ti, pode ser?
Diz-me qualquer coisa! Muito obrigada pelo cuidado!Um grande beijinho!!

Comprinhas

Já que o bilhete para entrar na livraria Lello, 4€ dá para descontar na compra de um livro, escolhi este que já há muito queria ler.
Agora a compra do bilhete é numa sala ao lado da livraria, com muito merchandise a vender, a senhora dos bilhetes perguntava de onde vinham e desejava as boas vindas, como eu pedi um bilhete e pedi numero de contribuinte, não tive o mesmo cumprimento, ah e o contribuinte só se comprar o livro, senão comprar não há contribuinte, percebeu? Tenho pena, juro nestes sítios tenho pena do tratamento desigual. Eu até já conhecia a Lello, antes de ser tão famosa, mas...

Da simpatia da loja Brancal trouxe este papelinho!

Com todas as moradas das lojas em todo o pais!
Comprei 4 postais e um iman...

Mas compraria mais...


quinta-feira, 23 de março de 2017

Quarta-feira e hoje

Levantei-me cedo, deixei o filho a dormir depois de ter trabalhado toda a noite, combinámos que eu regressaria à hora do jantar. Apanhei o metro no ISMAI, segui para a zona do Bolhão, há muitos anos que não andava por ali, andei muito, voltei à Ponte D. Luis, estive mais de uma hora na livraria Lelo, sentei-me a tomar o pequeno almoço, o almoço, tudo com tempo e sempre com gente simpática que me tratava por menina, gente do Norte é assim e eu gosto. Pedi para me carregarem o telemóvel, disseram-me sempre que sim, não consegui entrar no Magestic, chovia muito, estava cheio e a fila para entrar demoveu-me até porque já lá estive com o meu amor, voltarei sem dúvida.
Entrei em algumas igrejas que noutros tempos estavam fechadas, mas que agora me pude lá sentar e rezar, soube-me bem. Abriguei-me da chuva sempre em cafés, em Lojas, comprei uma echarpe que o frio apertava e enquanto chovia, estive entretida, fui a uma loja de lãs com umas senhoras extremamente simpáticas, enfim vivi intensamente o Porto, seis e meia da tarde apanhei o metro em São Bento, troquei de linha no Trindade e lá regressei ao ISMAI, onde esperei pelo João no seu cafézinho preferido onde lanchei um croissant com manteiga e a senhora me disse logo, a menina quer que aqueça, pois está muito frio? com um chocolate bem quentinho, soube-me pela vida. O jantar desta vez seria feito a dois em casa do filho.
Dormi bem novamente, ás cinco e meia da manhã filho regressou do trabalho e voltámos para casa,numa viagem a dois que correu muito bem, e só teve uma paragem para café. Chegámos a casa fomos dormir o resto da manhã!


























































Foi um dia fantástico, claro que com companhia seria bem melhor, mas assim, deu para tudo, 
pensar, rezar, sonhar, e até praguejar...