quinta-feira, 22 de junho de 2017

Falsidades...

Eu sei que me vão criticar e ficar espantados a dizer, é mesmo fria esta rapariga, mas estão a ver porque é que eu não alinho em pedidos de ajuda, chamadas telefónicas dinheiros enviados para ajudar esta ou aquela causa? Pois é porque grande parte destas grandes iniciativas são para encher os bolsos de alguém que quer viver à custa de outros. É obrigação do estado resolver este tipo de situações, eu posso ajudar a minha família e mesmo assim, ultimamente já desconfio de tudo e todos, o dinheiro custa-me tanto, mas tanto a ganhar. Claro que tenho pena das situações que vejo na tv, das famílias que perderam tudo, daquela empresa que vi há pouco que ficou sem possibilidade de continuar a laborar, e assim cerca de 50 pessoas sem sustentarem as suas famílias. Gostava de ajudar, mas por mais que eu dê 10 euros, diferença nenhuma vai fazer e provavelmente não vai parar ás mãos dele. Portanto, pago os meus impostos e o estado que faça o papel dele. Não dê a quem não trabalha, mas sim a quem precisa. Os Portugueses são muito solidários. Sim. Eu não sou.
Ajudo nas corridas em que participo e pago o a minha inscrição, para o cancro, para a fome, e mesmo assim já acho que há gente a aproveitar-se e a viver à conta destes eventos, pois é a minha opinião, vale o que vale...
Resultado de imagem para corrida contra o cancro

E o pior é que estas coisas me deprimem, gostava que fossemos diferentes, não tentássemos viver a roubar alguém, a usar, a passar por cima, mas mesmo aqueles que se dizem solidários, passam por cima de quem fôr contra a sua opinião e por vezes até os passam a olhar de lado, saber entender opiniões diferentes, também é de valor.

2 comentários:

  1. Não estas errada marina, é um outro ponto de vista. Já não somos novas, já não temos fé nos homens nem acreditamos em causas difíceis. A esperança na humanidade é uma coisa que vai passando com a idade e com as experiências que vivemos. Cada pessoa tem a sua posição, a tua é está, só isso.
    Beijinho grande
    Margarida

    ResponderEliminar
  2. Não vou criticar até porque tinha um amigo que pensava o mesmo, consegui convencê-lo só em parte com a ideia que mesmo que dos 10 que damos só lá chegue um, esse um poderá contribuir para ser a diferença.
    um beijinho

    ResponderEliminar