quinta-feira, 17 de maio de 2018

5º Dia e chegada...

E partimos bem cedo, mais do que o normal, de Amiaís de Baixo com direcção a Monsanto, subidas terríveis, sempre atrás, tirei fotos, comi fruta. Adorei Monsanto, não conhecia. continuámos depois de uma grande subida, alertaram-me que iria ter dificuldades em subir a próxima subida que deveria ir de carro, chorona que sou, desatei a chorar, mas nessa hora a maioria das pessoas com quem já tinha partilhado bons momentos decidiram convencer-me a subir, e lá fui, fui muito bem, com a bomba da falta de ar a ajudar-me e todos a gritar por mim, muito bom!!! O Henrique um companheiro que também ia muito aflito dos pés mas que neste dia puxou por mim até mais não. Sempre caminho difícil por serras, subidas e descidas. Na última paragem para almoço, já nem sei onde foi, o Henrique mais uma vez puxou por mim e disse Marina hoje vamos chegar à frente venha comigo, lá fui e cheguei no grupo do meio, ainda esperámos uns bons minutos pelo resto do grupo. Essa chegada foi muito emocionante, todos nos abraçámos e chorámos e rimos, fiquei ainda mais feliz quando vi o meu marido. Depois a parte dolorosa foi depois de estarmos parados cerca de 45 minutos, em grupo e a cantar fomos todos ao Santuário. cheia de dores, nem aproveitei essa chegada como queria. depois do santuário fomos em grupo ao orfanato onde iam dormir quem lá ficava para a Procissão, eu não, fui buscar o meu saco para regressarmos a casa. tanta gente em Fátima, as filas para tudo eram imensas, para os tratamentos, para as velas, vim embora, voltarei...a pé não sei...






























Não sei se voltarei a fazer esta caminhada, mas os meus pés sofreram muito, eu sofri muito.
Viajar em grupo não é fácil, quer sejam muitos, quer sejam poucos, há sempre gente que não ajuda ninguém, mas também encontramos almas muito boas!
A todos os que me ajudaram o meu Bem Haja!!!


Sem comentários:

Enviar um comentário