segunda-feira, 6 de junho de 2016

Lá fomos novamente...

ao Hospital Curry e Cabral, chegámos às 11:20 minutos saímos de lá às quatro horas, sem relatório da consulta, porque a médica estava esgotada, e ainda não tinha comido, portanto...nós também lá estivemos, mas quem ouvisse a médica parecia que nós tínhamos culpa.
mas vamos aos factos, da outra vez que lá fui, queria ver o doente e nada nos explicou, queria exames com imagens e nada de relatórios. Hoje viu os relatórios, disse-nos como se não soubéssemos que o pai tinha um tumor maligno na cabeça do pâncreas, mas que faltava uma TAC com contraste para ver se o tumor era ressecável, para poder ser operado, diz o pai, não quero ser operado. Mas porquê pergunta a médica, porque acho que estou muito velho e fraco, não quero. Eu pedi-lhe para explicar ao meu pai a operação, ela riu-se e respondeu-me se eu lhe explicar então é que ele não quer mesmo.
Enfim, o pai continuou a dizer não e ela foi dizendo o que lhe ia acontecer se não fosse operado, ele disse que não fazia mal, mas que não queria.
Eu nem vos quero dizer a minha opinião, porque hoje estou uma mistura de sentimentos, que não sei o que hei-de pensar, mas espero ansiosamente a consulta de oncologia, para que possa explicar ao pai que o podem ajudar a viver os últimos dias sem dores...


A vida é assim...


2 comentários:

  1. Mais um dia duro amiga e ainda por cima com direito a arrogância,estou com tu dizes cambada é complicado não sabermos o que fazer nestas alturas e não ter ninguém que nos diga calma eu estou aqui para ajudar mas nada a fome falava mais alto e toca a despachar, como já referi anteriormente se o pai tiver dores opte pelos cuidados paliativos se não tiver deixe-o comer e beber à vontade até Deus querer é uma opinião, mas Marina veja o melhor para o pai, nunca se esqueça que eu estou aqui para o que precisar bjs

    ResponderEliminar
  2. Não sabia, Marina, espero que especialista da oncologia seja alguém com sensibilidade e que dê para operar - seria tão bom se houvesse um remédio que se pudesse tomar para não termos de ser operados nunca. Também já me disseram que quando somos mais velhos, também progride mais lentamente, e às vezes não é preciso operar. um beijinho, força e muita sorte para o teu pai

    ResponderEliminar