sexta-feira, 22 de abril de 2016

Continuação...

Hoje de manhã fui para o hospital para saber do meu pai, estava no mesmo sitio, tinha feito novas analises, mas tem de ir a Lisboa fazer um exame e hoje por ser sexta feira seria difícil, então fica internado porque agora só terça feira, provavelmente, fará o mesmo. Ainda perguntei se o podia trazer, mas disseram-me que não.
Depois seguiu-se uma cena melhor ainda, fui pedir uma justificação do dia anterior uma vez que o tardar da noite me esqueci. dizem-me que não me dão, só se pode pedir no próprio dia. fiquei em choque,  pedi para falar com o coordenador, que me diz que tenho de ir ao gabinete do cidadão. Peço-lhe de imediato o livro de reclamações. Dá-me o livro, como o balcão é muito alto para mim, levei o livro para cima de um caixote de lixo. O Sr. veio para perto de mim, devia estar com medo que eu fugisse com o livro. Quando lhe entrego o livro com duas páginas de reclamação, ele pede-me desculpa e diz-me de imediato, afinal e uma vez que o seu pai ainda cá está eu posso-lhe passar a justificação. SEM PALAVRAS.
Detesto as cunhas, odeio cunhas, acredito que muita gente não reclama porque acaba por usar alguns serviços porque conhece alguém ou é conhecido nos sítios. Isso comigo não pega. Eu sou uma cidadã que desconta e paga impostos, pago consultas, tenho direito de exigir ser bem atendida, certo?
E foi tudo relatado na minha reclamação.
Porque algumas das coisas que aconteceram ontem eu achei inconcebíveis, e nem ia reclamar, mas hoje depois de não me quererem dar a justificação, foi a gota de água. 
Paciência nos hospitais? amiga Maria do Mundo, se há pessoa paciente no hospital,sou eu, hospitais para mim, só em último caso por isso com o meu filho gastei fortunas com o pediatra dele. Mas consegues pôr-te no meu lugar se fosse com o teu pai? Seis horas de espera com um sr. de 81 anos , diabético e algaliado? Mais duas para análises que podiam ter sido pedidas imediatamente na triagem?
Que nunca vos aconteça, minhas amigas...


Pobre do meu velhote, o que será que vai ser agora...

2 comentários:

  1. Amiga, não te esqueças que passei 3 dias numa maca no corredor do hospital (mais propriamente no corredor da urgência de cirurgia e ortopedia a ver entrar e sair pessoas feridas a gemerem horas9, sem deixarem o meu marido levar roupa (por isso não pude mudar sequer de roupa interior), com uns sapatos feitos de saco plástico, ligada a soro, sem almofada, porque no hospital inaugurado há 3 dias não havia almofadas que chegassem??? Já nos conhecíiamos nessa altura!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como te disse nas urgências continua sem almofadas, acho que é propositado.
      Nessa altura devias ter reclamado, não só por escrito mas logo de imediato, como o fiz ontem com o médico, que de imediato me pediu desculpa.

      Eliminar