terça-feira, 22 de março de 2016

Haja alguém...

Afinal tenho algumas pessoas que se importam comigo, e hoje já tinha tomado a decisão de vir cá ao meu cantinho, mas um telefonema de alguém que passou a fazer parte da minha família, só me deu mais força, a mãe do meu querido afilhado Francisco, obrigada querida Tânia, gosto muito de ti, mesmo.
E então, cá ando nesta meia inércia que se apoderou de mim, tentando remar contra a vontade de me deitar e deixar o tempo passar rápido sem o aproveitar, coisa que eu detesto fazer e que ultimamente tem sido o meu hábito. Passaram dias tranquilos na minha vida, no fim de semana foi o Dia do Pai, fui dar um beijinho especial ao meu pai, e Deus sabe o que este dia nunca foi para mim, e este ano foi, vá-se lá entender o género humano...de resto só trabalho, casa, trabalho, casa, dormir, sonhar, pouco ou nada fazer, a não ser ir aos pais, falar com o filho no whatsapp, no facebook, menos no skipe...ele não gosta muito...posto isto, tenho lido no comboio, e hoje acabei outro livro, valha-me isso e o facebook...

 A minha prima cujo pai é irmão do meu pai e tem alzheimer

 Mãe linda!!!

 A minha prima e o meu tio que fui dar um beijinho por ser Dia do Pai...


Enfim, mais do mesmo na minha vida...há que enfrentar a fragilidade da mesma...
Gostei!
Resultado de imagem para a rapariga do comboio

Hoje acabei este...
Resultado de imagem para a casa de campo elizabeth adler

Sejam felizes, que eu vou ali tentar não deixar de ser...

2 comentários:

  1. Força rapariga. A vida tem momentos muito complicados mesmo, que só quem está neles os consegue avaliar e sentir. Mas eu gosto que aqui tenhas vindo, pois gosto de saber de ti e do teu pai, assim como da restante família que entretanto nos foste apresentando.
    Esse livro A rapariga no comboio, deve andar-me a perseguir. Já estive a pensar comprá-lo uma série de vezes. Afinal, para muito pouco leitora como sou, se esse é fenómeno, talvez me entusiasme. Mas ontem, depois de ler num blog alguém que o tinha lido e não tinha gostado, fiquei naquela. Durante as minhas compras, estive com ele na mão, mas deixei-o. Hoje, passo aqui e lá está ele. Caramba, se calhar tenho mesmo de o ler! Aconselhas?

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar