quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Há cerca de um mês pediram-me se eu ia testemunhar a favor de uma pessoa.Senti que não podia dizer que não.
Fomos a tribunal mas eram muitas as tetemunhas e não ouve tempo para todos serem ouvidas ficando a sessão adiada para hoje.
Bem cedo,ás oito e meia da manhã já estava no tribunal em Sintra, e se fazia frio...Acho que internamente o meu corpo ainda estava mais gelado que o exterior, tal era o estado nervoso que existia em mim.
Quatro julgamentos agendados para a mesma sala, mesma juiza. Resultado, dois julgamentos adiados para Fevereiro de 2013 (???) aquele em que eu ia participar e outro que iria anteceder o "meu".
Entretanto vêm dizer que a Juiza ia sair , ia visitar um local, teriamos de esperar cerca de uma hora(???), pois não foi uma hora, foi uma hora e meia...
Era meio dia e meia quanto começou a audiência, eu, que até aqui tive esperança que fosse adiada, caí em mim, era agora.
Fui a primeira testemunha a ser chamada, e eu tremia, nunca me tinha visto numa situação destas.
Nome completo, profissão e morada completa. Jura solenemente dizer a verdade de todos os factos, sim, respondo, a juiza repete jura... sim juro. Pode sentar-se.
E ai meus amigos, perguntas e perguntas e perguntas. Respondi a tudo. Apesar da acusação me ter chamado á atenção de estar sob juramento, acho que correu bem, disse o que eu tenho como verdade dos factos, portanto a verdade. Vinte e cinco minutos depois dispensaram-me pedindo desculpa por ter estado toda a manhã á espera. A Juiza era uma simpatia.
Venho cá para fora, e outra colega minha ia ser ouvida, mas vem a secretária dizer que ela ia ser ouvida no próximo mês dia 7 de Novembro ás nove e meia da manhã.
Uma e dez saimos do tribunal.
Como primeira experiência e espero que última, não foi agradável.
Uma manhã inteira seis pessoas com a vida parada, á espera da Juiza...mas não há juizes no mercado? Porquê que esta distribuição de casos é assim?
Há alguma lógica nisto? e começa-se um julgamento, ouve-se uma testemunha e depois interrompe-se porque é hora de almoço quando só falta ouvir uma testemunha e as alegações finais?
Eu efectivamente não compreendo o sistema.

2 comentários:

  1. Racionar meios e pessoas, é o que dá, bjs.

    ResponderEliminar
  2. bem... deve ter sido um sufoco... pelo menos tiveste direito a almoço, pago pelo constituinte-réu?... em relação à demora de tudo o que envolve a nossa justiça, olha...está conforme o estado do país, tudo parado...paradinho...bj sm

    ResponderEliminar