sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Gostei!

 Sinceramente esta historia do regresso da Judite de Sousa que tanto tem dado que falar, custou-me ver, ela treme por todo o lado, esta entrevista deve-lhe ter custado horrores, eu sei que há muitas, mas mesmo muitas mães que tiveram até menos tempo e infelizmente por dinheiro tiveram que voltar a trabalhar, mas vê-se que ela está com dificuldade em especial, penso eu que seja por ser um jovem como o filho dela, é uma provação nada fácil quanto a mim. Por mais que critiquem, eu não deixo de a louvar, a ela e a todas as mães que infelizmente passaram ou estão a passar por este drama.


Mas o Ronaldo é um querido, gosto tanto dele

"Não estou no futebol para ter amigos"
"Quem ajuda os outros Deus ajuda"
"O meu filho é um cidadão do mundo como o pai"
" viver sozinho aos 11 anos isso sim é passar dificuldades"


Deus nos livre!!!

6 comentários:

  1. Ainda não vi a entrevista, mas acredito que não deve ter sido nada fácil para a Judite. Grande Cristiano!!! Será sempre acarinhado por nós, Portugueses. :) Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Oh, fiquei arrepiada com o estado dela. Mas gosto cada vez mais do Ronaldo!

    ResponderEliminar
  3. Eu gostei pela coragem, embora ache que foi um regresso precipitado. No entanto, cada um sabe aquilo que o faz esquecer as mágoas. O Ronaldo, esse é um must.

    ResponderEliminar
  4. Marinamiga

    Vi a entrevista toda. E gostei. Gostei? Adorei. Explico:

    Gostei da Judite que conheço desde quando veio do Porto juntamente com o Zé Rodrigues de Carvalho, durante a “Tempestade no deserto” , a Guerra do Golfo. Eu ia à RTP fazer comentários, pois tinha ido à guerra Irão-Iraque. Gostei? Adorei?

    Como Mulher e como Profissional. Via-se como era difícil fazer perguntas, reflectir sobre as respostas de um Senhor chamado Cristiano Ronaldo; via-se como lhe era difícil sorrir, das poucas vezes que o fez; via-se a dor de uma Mãe que perdera o seu único filho em plena juventude. E eu tenho três felizmente vivos.

    Mas também se via a Profissional. Pelo tremer que teve, pela voz que se lhe embargou, parecia que era a primeira vez que fazia uma entrevista, que era uma jovem estagiária; mas via-se que preparara a conversa com um Senhor chamado Cristiano Ronaldo. .Como jornalista que continuo a ser, mesmo reformado (ainda que um jornalista nunca se reforme) sei bem que a primeira vez é sempre difícil, mas mais difícil é retornar, sair da fossa.

    Porém, também adorei o Cristiano Ronaldo, como Homem e como Futebolista, o melhor do Mundo e no preciso dia da entrevista também o melhor da Europa. Como Homem não se furtou a responder a (quase) todas as perguntas da Judite, sobre a sua vida pessoal, e gostei, sobretudo quando disse que “na minha cabeça sou o melhor do Mundo”.

    Mas, sobretudo adorei a forma com se exprimiu num Português correcto, ao invés do miúdo que conheci quando com 17 anos veio da Madeira, sozinho, para jogar e aprender no Sporting. Na altura era um cepo, não dava duas prá caixa. Mas aprendeu, ó se aprendeu. Se é o melhor do Mundo e da Europa (e é, ponto.) a presença e a palavra não lhe ficam atrás. Como ele progrediu…

    Dizem-me que foi ele quem propôs ser entrevistado pela Judite. Penso que o fez. Porque disse que o que interessa é que se faça o bem, mas não interessa quem o fez. É um Homem com caixa alta (maiúscula para a gente da Comunicação Social).

    Peço-te perdão, Marina pelo comprimento deste comentário maior do que a espada do Afonso Henriques. Mas foste tu que começaste e me “provocaste”…

    Gostarei; gostarei? Adorarei quando fores à minha Travesa, comentares, (per)seguir-me. Eu já o faço…

    Qjs = queijinhos = beijinhos – e também rimam…

    Repito o comentário porque me parece que o danado blogger comeu tudo que já aqui postara. Se não for assim, perdoa-me o duplicado. ...

    ResponderEliminar
  5. Não entendo porque carga de água têm de MISTURAR a morte do filho dela com o Ronaldo. Não entendo.
    Se não separarem as coisas como é que ELA vai separar??

    Uma jornalista, assim como uma artista, tem de saber separar as coisas e seguir a sua ética de trabalho. E continuar a trabalhar, SEM misturar as coisas. Pior para ela se cair na "celebridade" ao invés do profissionalismo e deixar as coisas da vida pessoal se misturarem com os deveres da vida profissional.

    E não me passou despercebida esta imagem - de tantas que podiam colocar. PORQUE esta, ao lado de uma piscina? Também já é demais!! Mas a entrevista era ao Ronaldo ou uma constante observação e escrutínio detalhado e vouyierista à morte do filho dela?

    ResponderEliminar
  6. Vi a entrevista ontem à noite e fiquei mesmo perturbada. Ela está desfeita, como bem se entende.

    ResponderEliminar