terça-feira, 11 de março de 2014

Efectivamente

A vida dá muitas voltas, e o que hoje é, amanhã já não é, faz sentido????
Conhecemos pessoas ao longo da nossa vida, com quem fazemos amizade e julgamos ser para sempre, e de repente algo acontece e a cumplicidade morre, a amizade não se conservou, alguém desiludiu alguém, alguém usou o outro alguém que não se sentiu bem e sofreu. Já tive pessoas na minha vida que julguei ser para sempre, e acreditem, hoje nem as posso ver, que não sinto qualquer empatia com elas, só magoa do tanto que me magoaram, pode ser por pequenos gestos, ou qualquer coisa insignificante para elas, mas para mim...doeu. E há uns anos atrás eu não conseguia sequer pensar na hipótese, de me zangar com alguém, para mim era tudo amizade, tudo eu perdoava, mas agora...evito até pensar nessas pessoas, e não consigo entender o que vi nessas pessoas, que nem amigas sabiam ser, simplesmente me usavam.
Por outro lado, tenho conhecido outras que acho que sempre conheci na vida, mas deixar-me usar novamente?  Será difícil...
Fiz há pouco tempo uma nova amiga, que não é Portuguesa, é Moldava, trabalhámos juntas quatro meses, e acho que nunca mais deixaremos de ser amigas, sabem o que me disse um dia? Marina nunca tenhas pena de ninguém, sabes porquê? Porque ninguém tem pena de ti. E efectivamente é verdade. Claro que não necessito que tenham pena de mim, mas é uma maneira de dizer que ninguém sente respeito ou pensa nos meus sentimentos.
Já vos aconteceu isto? 
Foto

6 comentários:

  1. há "amigos" que o que fazem é puxar-nos para baixo e nós só nos apercebemos disso realmente quando, por algum motivo, as afastamos das nossas vidas

    ResponderEliminar
  2. Já me aconteceu sim, não muitas vezes mas já perdi amigos que hoje não sei o que vi neles. Faz lembrar alguns divórcios em que o pior das pessoas vem ao de cima e são reveladas facetas que as pessoas desconheciam. Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. A mim também já me aconteceu, infelizmente. Doeu-me horrores, perdi noites à procura de respostas, até conseguir chegar à indiferença, numa das "amizades" mais forte. Depois desta grande desilusão, as outras já não foram tão duras, mas não deixaram de o ser!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Tenho um conceito de amizade muito mas muito restrito!

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. O meu conceito de amizade é algo que se resume (em parte) nisto:
    bacalhau é bacalhau; serviço é serviço e conhaque é conhaque. :))))))))))))
    Não é nada complicado. ;)
    Felizmente, em 57 anos de existência, foram raras (as inesperadas) as desilusões, porque raramente me enganei, no que diz respeito a relacionamento com pessoas que nestes anos se cruzaram na minha vida (ou vice-versa).
    Nunca esperei muito dos outros, nem criei grandes expectativas, e continuo a acreditar que há pessoas más (muito más), pessoas boas e as excepções.
    Desde pequenino habituado a contar comigo e nunca esperar grande coisa dos outros, talvez me tivesse tornado bastante selectivo no que diz respeito a amizade e o verdadeiro (único?) conceito da mesma.

    Continuo a gostar de passar por este cantinho.

    Tudo de bom.
    :)
    ;)


    ResponderEliminar
  6. acredito que isso já aconteceu a todos... e é impressionante o que faz as pessoas mudarem e deixarem de ser aquilo que eram para se tornarem em não apenas desconhecidos como a tristeza se apodera ao recordamos o tempo que se passou juntos e depois parace que foi tudo uma grande e valente mentira... é triste mas a realidade é essa. A coisa boa no meio disto tudo é que nem todos são iguais e eu continuo a acreditar nas "pessoas" e a querer fazer novas amizades pois não gosto de jogar tudo no mesmo "saco". Há pessoas boas ... OLHA TU :D

    um beijnho carinhoso ♥¸.•*¨✿

    ResponderEliminar