sexta-feira, 27 de julho de 2012

Alguém disse que hoje é (ou foi) dia dos avós. Mas sinceramente este dia não me diz nada.

Só conheci o meu avô materno, e muito pouco me lembro dele, eu cresci numa terra muito pequena, onde para irmos ao talho, á praça, á farmácia e ao médico tinhamos de fazer cerca de cinco kilómetros a pé, e normalmente eu e a minha mãe faziamos esse percurso todos os sábados de manhã.
Deste meu avô lembro-me de passar por nós, nós para lá e ele já para cá, usava um pau, um cajado ao ombro e um saquinho (as suas compras) pendurado na ponta. Parava, dáva-me um beijinho e ás vezes uma moeda pequenina para comprar rebuçados...

Mais tarde, aquando do meu casamento, conheci o avô do meu marido, esse sim vivi algum tempo com ele, todos os sábados iamos jantar a casa dele até ... muito me custou, era um avô muito querido.

O meu filho, e ainda bem, tem duas avós e dois avôs que o amam muito, e normalmente todos os fins de semana estamos juntos, o meu filho respeita-os muito e adora-os. teve também o previlégio de conviver com o bisavô, avô do meu marido, e de ser muito amigo dele, e deste lhe ter ensinado muitas coisas. Conheceu também uma bisavó, avó do meu marido, mas muito pouco conviveu com ela...

Julgo que o meu filho é muito mais feliz do que eu fui, por ter tantos avós que o adoram, hoje não falou com eles, mas ele sabe que eles estão lá para o que fôr necessário.

Bem hajam os avós!

2 comentários:

  1. Tenho ainda as duas avós vivas, mas a minha avó materna é um dos meus pilares. :)

    ResponderEliminar