sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Envelhecer...

Acompanhar os nossos pais e vê-los envelhecer, não é fácil, quem já passou por isso, sabe do que falo, quem ainda não chegou lá, é bom que pense no assunto...
Reconheço que se calhar até sou um pouco fria na relação com os meus pais, com o meu pai sou de certeza, nunca tivemos um relacionamento bom, mas com a minha mãe, gostava de lhe dar mais mimos, mais abraços, menos ralhetes do que aqueles que lhe dou.
Mas ultimamente, a situação tem estado mais difícil, o meu pai tem dado mostras de demência, pelo menos é o que acho que seja, que nos preocupam, mas que ele não admite, claro, e convencê-lo a ir a um médico, não vai ser fácil. Costumava deitar-se ouvir rádio, um eléctrico, que ligava e desligava da ficha quando já não queria ouvir. Em cima da mesinha de cabeceira, tinha um relógio com mostrador grande, até desses de oferta das marcas, mas que se via bem as horas, até que um destes dias acabou a pilha e ele deixou de funcionar. A minha mãe comprou pilhas, colocou e aparentemente tudo estava normal, mas de repente o meu pai disse que no dia anterior o dito relógio não tinha trabalhado, porque não deu os fados que habitualmente dava...????a minha mãe explicou-lhe que ele estava a fazer confusão pois aquilo era um relógio e não o rádio. Teimou, ralhou, chamou todos os nomes à minha mãe e mandou-a comprar novas pilhas, as de melhor marca. Eu comprei pilhas duracell, cheguei lá a casa e perguntei-lhe para que eram as pilhas, ao que ele me responde que o rádio deixou de trabalhar, digo-lhe, pai isto não é um rádio, é um relógio a pilhas...ofendido comigo, que eu lhe estou a chamar maluco, digo que não, que é normal ele estar a fazer confusão, mas aflita com a reacção dele, deixo-o a arranjar o dito, rodando desalmadamente o botão de acertar o relógio, na esperança que " a mulher da rádio " fale...
Semanas passaram, continua a insistir que o estamos a enganar, o rádio havia de funcionar. O meu irmão esteve cá, pediu-lhe para o mandar arranjar, o meu irmão disse-lhe que ia comprar um rádio novo, comprou e deixou-o lá e ficou com o relógio. Ele mentiu que estava satisfeito, mas continua sem o ligar porque o outro é que era bom, até porque na rádio disseram que havia milhares de rádios daqueles com relógio à venda...

PARECIDO COM ESTE...


Que fazer? Claro que ele não aceita o que lhe dizemos, é teimoso. Já não consegue ver as horas e insiste que a minha mãe é que não sabe ver as horas...como é que reagimos nestes casos?
Paciência...Levá-lo ao médico? Como?
Amanhã vou ver como ele está ...imaginam como me custa tudo isto? E à minha mãe? 
A minha mãe tem uma paciência que eu admiro e que eu não tenho...
Cada dia custa mais...

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Sei o que é isso!

    Tenho a minha mãe num lar com demência e senilidade que tem semelhanças ao Alzheimer.
    Sempre que a vou ver venho de lá um farrapo.
    Tem força!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. A idade assusta as pessoas e também as muda... Espero que ele melhore ou então que arranjem uma forma de o entender e não se chatearem tanto! Força!

    ResponderEliminar