segunda-feira, 22 de julho de 2013

Das coisas simples da vida...


A minha mãe é a minha costureira de serviço, tém uma máquina de costura há 40 anos, que já comprou em segunda mão, mas que tem sido óptima e resolve-nos todas as nossas costuras, mas a pobre adoeceu, e hoje foi dia de a levarmos ao médico, lá ficou internada para observação...
Esperemos que não seja doença grave, pois a mãe não se ajeita com a minha eléctrica...


Depois disso fomos fazer algo tão simples como ir a um centro de dia visitar um tio meu, que está abandonado pelos filhos, que me custa tanto acreditar, como é possível que dois filhos, homens, casados e com filhos, consigam não querer saber do pai para nada...são meus primos, pois este tio é irmão da minha mãe, e ao que sei por divergências de dinheiro e bens materiais. Mas ele decidiu ir para o Centro de dia que assim pelo menos cuidam dele, e nós apoiamos. Então hoje fui ver o sitio e dar-lhe um beijinho, pois sei que ele gosta muito de mim, e eu gosto dele. 

Este é o meu tio Florentino


E este é tio do meu marido, que para não estar sozinho, também lá está...
Está também uma tia do meu marido, que não lhe tirei foto desta vez, mas irei lá outra vez, em breve...
E não é que os velhotes ficaram muito contentes de nos ver?
Até eu me senti muito bem...porque é que as pessoas não visitam os velhotes? Como é que são capazes de os abandonar???
Esquecem-se que muito em breve estaremos todos em iguais circunstâncias?
E estas coisas tão simples como partilhar algum tempo nosso com quem o merece, que me deixam mesmo satisfeita, com sensação de dever cumprido.
Se tiverem familiares assim, arranjem um tempinho e visitem-nos, não os abandonem, custa-vos, mas depois sabe tão bem o agradecimento.

Eu hoje sinto-me mesmo muito melhor!

8 comentários:

  1. Um dia os filhos deles far-lhes-ão o mesmo e aí eles vão lembrar-se dos pais que abandonaram.
    Gosto dessas relíquias. :) Cá em casa temos uma máquina parecida que era da minha avó, mas já não funciona. Está guardada para recordação. ;)
    beijinho

    ResponderEliminar
  2. tenho uma maquina parecida que era da minha avo :)
    Boa semanaaaaa :)

    ResponderEliminar
  3. Custa-me tanto ouvir historias dessas, tem memoria curta pois os pais concerteza fizeram tudo por eles, e como diz a mente flutuante um dia sera a vez deles de serem abandonados e nao havera um unico dia que nao se lembrem do pai, um bem haja a ti por ir visitar e dar miminho aos tios
    bjinhos

    ResponderEliminar
  4. Filho ès pai seràs, como fizeres assim encontraràs. Està tudo dito Marina. Bjinhos

    ResponderEliminar
  5. Fico tão triste com estas histórias, Marina. Estar sempre ao pé dos meus pais é um dos motivos pelos quais quero vir para aqui.

    ResponderEliminar
  6. Nós cá por casa também uma maquina de costura dessas mas ninguém lhe dá uso... Nem sei se funciona lol

    Essas histórias são tão tristes =(
    Não sei como conseguem abandonar os velhotes em lares e deixá-los lá =(

    Beijocas

    ResponderEliminar
  7. Olá! Já houve cá em casa uma Singer parecida, da minha mãe.
    Quanto ao abandono em que se encontram tantos idosos, com filhos cheios de posses e que não lhes ligam nenhuma...isso é o que mais abunda! Aceito, quando os filhos e os pais não têm possibilidades, mas uma visita, ao fim de semana...enfim!!!
    Até sei de um caso de quem tem cinco filhos 2 raparigas e 3 rapazes. Todos com posses, os pais eram muito queridos enquanto saudáveis e ajudando na criação dos netos. Um teve um AVC e ficou diminuído, acabou tudo, lar com eles! Entretanto uma filha a mais ajudada pelos pais faz caridadezinha pelos Vicentinos!!! Que gente sem vergonha!
    Uma barço.
    M. Emília

    ResponderEliminar
  8. Que susto! por momentos pensei que era a mãe que estava doente... tenho a certeza que vão cuidar bem da maquina e ela vai vir como nova.
    Beijinhos

    ResponderEliminar