quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

INJUSTIÇA
 
Mal começou o ano e eu senti mais uma vez a raiva da injustiça, e é tão frustrante sentir-se que não consigo explicar...
Todos nós já sentimos é certo, momentos de injustiça, mas é um sentimento tão revoltante, quando nos culpam por algo que nós sentimos não ser nossa função, não ser  nosso dever, algo que pessoas com responsabilidade superior deveriam fazer e que por qualquer motivo não o fizeram. É terrivel...
Sente-se uma desilusão, uma humilhação, um desgosto por estarmos a dar o nosso melhor e sermos acusados de falhar... Fuckkkkk
Desta vez não me calei, respondi que não me passou pela cabeça que alguém não o tivesse feito, azar, deveria ter passado pela minha cabeça que as pessoas que eu julgava competentes afinal não o são, adivinhar é proibido...
Chorei tanto...a injustiça que eu achei ser praticada comigo, já a senti outras vezes, e continua a fazer-me sofrer, haverá um dia em que serei capaz de virar a mesa...e esse dia já esteve mais longe, hoje talvez tenha sido o principio do fim...o respeito também acaba...

6 comentários:

  1. Oh, Marina, que coisa horrível! Tenta relativizar, por difícil que seja... Há sempre gente injusta por aí, má e sem pejo em magoar os outros. Não devemos dar-lhes a importância que não merecem!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. As injustiças custam sempre mas mantem a calma.

    Amanhã é outro dia e correrá melhor!

    ResponderEliminar
  3. Oh minha amiga nada pior que sermos injustiçadas, é uma revolta imensa.
    Mas não percas a calma para não perderes a razão.
    Muitos beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Sentir-mo-nos assim é mesmo difícil. Se calhar, já aconteceu com todos nós. Força e um beijinho

    ResponderEliminar
  5. Há incompetentes que têm de arranjar sempre culpados para a sua falta de responsabilidade e o que revolta é que a maior parte das vezes, apesar de toda a gente saber a realidade, eles lá continuam, intocáveis..... sei que custa lidar com uma e outra injustiça, o difícil que é continuar a engolir sapos e como nos consumimos para que não chegue o momento em que vamos explodir!
    Espero que vás conseguindo manter a calma porque na verdade estas situações desgastam muito e raramente se resolve a nosso favor...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Não sei o que é que se passou, mas digo-te o que é que costumo fazer: quando erro, assumo que errei, deixei de assumir responsabilidades pelos erros de outros como fazia antigamente. Deixo falar e em seguida não me calo,"coloco as mãos na cintura e parto para a peixeirada". Para além da desilusão é a raiva de não ter dito tudo o que tinha a dizer.
    Chorar é sinal que estamos a bater com a cabeça na parede e aí precisamos de ajuda. Não te esqueças que foste tu que me disseste isso em Agosto e eu procurei ajuda.

    ResponderEliminar